Autocinética: uma poderosa técnica para você se acalmar

O dia foi difícil e você está sofrendo com irritação? Confira as dicas.

 

Há dias no trabalho em que nada parece dar certo. Em ocasiões como essas é necessário manter a calma, especialmente quando isso parece ser impossível.

Uma técnica extremamente poderosa para você ficar calminho é a Autocinética. Criada por Bradford Keeney, os principais benefícios dessa prática são revitalizar a mente, combater o estresse e focalizar na solução dos problemas.

Confira os passos segundo o IPDH, o Instituto Prisma de Desenvolvimento Humano e principal divulgador da Autocinética no Brasil:

  1. Sente-se em uma cadeira, ou banco, com os dois pés no chão, não se recoste na cadeira, fique com a coluna confortavelmente reta. Os seus braços podem ficar na posição que considerar mais confortável, apenas não os cruze, eles podem ficar soltos ao lado do corpo ou com as mãos apoiadas nas pernas.
  2. Faça uma respiração profunda e feche seus olhos.
  3. Comece a prestar atenção em algum de seus ritmos naturais, como sua respiração. Isso vai ajudá-lo (a) a acalmar a mente. Fique percebendo ou sentindo como o ar entra e sai, acompanhe todo o percurso do ar com atenção.
  4. Permaneça com os olhos fechados, e para facilitar seu corpo a identificar que você vai fazer um exercício diferente, com as pontas de seus dedos médios pressione suavemente o canto interno de seus olhos por um ou dois segundos.
  5. Permita que se inicie um movimento de embalo natural, ou seja, quando se está sentado na posição indicada para o exercício, de olhos fechados, sem apoiar a coluna e com a atenção na respiração, é comum as pessoas sentirem um leve balanço natural do corpo, como se fosse uma leve tontura, que dá a impressão de movimentar ou realmente movimenta seu corpo de um lado para outro, ou para frente e para trás, ou ainda em movimentos circulares, como se a coluna estive “tonta”, cambaleando. Esse movimento é a Autocinética, é uma movimentação natural do corpo. Ele deve ser espontâneo, inconsciente, ou seja, você não deve ficar dando comandos mentais conscientes para seu corpo se movimentar “assim” ou “assado”.
  6. Pense no objetivo que você deseja para esse momento, se revitalizar, relaxar, focar sua mente, resolver um problema. Seja lá o que for, coloque esse objetivo em sua mente por alguns segundos. Depois pode deixá-lo de lado ou esquecê-lo, não precisa manter o objetivo na mente durante todo do exercício.
  7. Permita que os movimentos se intensifiquem ou se expandam naturalmente, como se contaminassem as partes do corpo vizinhas de forma natural, de modo que se expressem como se seu corpo tivesse uma inteligência e uma vontade próprias, independentemente de suas ordens mentais. Não há necessidade de serem apenas movimentos, podem ser sons naturais, como cantarolar, ou sons naturais que saem de sua boca, pode ser uma dança, qualquer coisa que seja espontânea.
  8. Deixe os movimentos e/ou os sons naturais do seu corpo tomarem conta, e se expandirem, como se você estivesse surfando ou apenas flutuando em uma onda, um campo magnético, em transe. Deixe-se levar por essa onda, até que ela pare naturalmente.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *