A importância da testosterona no corpo

A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, sendo considerado um esteróide anabolizante. Também, é produzida no corpo das mulheres, mas em menor quantidade.

Ela desempenha diversas funções no organismo, sendo essencial tanto para a manutenção dos tecidos reprodutivos masculinos, quanto para o crescimento e manutenção dos ossos, tendo um papel bem importante para a saúde mental.

Entenda um pouco mais sobre esse hormônio e sua importância no corpo humano a seguir:

Quais as funções da testosterona no corpo?

Além de ser responsável pelo desenvolvimento dos tecidos reprodutivos masculinos, a testosterona desempenha diversos papéis vitais ao funcionamento do organismo. Ainda, está relacionada ao desenvolvimento da massa muscular e a manutenção da saúde dos ossos.

Dentre as funções da testosterona, podemos destacar o seu papel como um hormônio que ajuda a melhorar a disposição e o humor. Além disso, ela também é responsável por um aumento nas sensações de prazer.

Outra função desempenhada pela testosterona é a sua influência na capacidade cognitiva. Níveis baixos de testosterona podem diminuir a capacidade cognitiva no homem, reduzindo a capacidade de concentração, aprendizado e memorização.

Nas mulheres, a testosterona também desempenha diversas funções importantes, tais como regular o funcionamento dos ovários, auxiliar no crescimento e na força óssea, além de estar relacionada à libido feminina.

Os riscos dos níveis de testosterona baixos

Nos homens, a diminuição dos níveis normais de testosterona leva ao aparecimento de certos sintomas, além de aumentar o risco para outras doenças. Confira:

  • Disfunção erétil;
  • Diminuição do bem-estar;
  • Queda no desempenho sexual;
  • Aumento da gordura corporal;
  • Redução dos pelos corporais e faciais;
  • Maior risco de reações inflamatórias;
  • Maior risco de doença vascular cardíaca;
  • Diminuição do raciocínio lógico;
  • Diminuição da memória;
  • Declínio da capacidade cognitiva;
  • Aumento da predisposição à obesidade visceral;
  • Aumento da predisposição ao infarto;
  • Diminuição da massa muscular;
  • Aumento do tamanho da mama;
  • Ondas de calor;
  • Diminuição da energia;
  • Intolerância à glicose;
  • Mudanças bruscas de humor, falta de concentração e depressão.

Nas mulheres, baixos níveis de testosterona podem causar problemas de saúde mental, como a depressão, diminuição da libido e problemas de concentração, além de comprometer a saúde óssea.

Como saber se eu tenho testosterona baixa?

Existem diversos exames capazes de mensurar os níveis de testosterona no organismo, como exames de sangue e de saliva. Contudo, a interpretação do resultado é variável, já que existem variações nos níveis de testosterona ao longo do dia e, também, de um dia para o outro.

Geralmente, as taxas de testosterona estão mais elevadas no começo da manhã e no final do dia. Por essa razão, dependendo do horário em que o exame é realizado, resultados completamente diferentes podem aparecer.

De acordo com as diretrizes formuladas pela Associação Médica Brasileira (AMB), os níveis normais de testosterona, para homens adultos, varia entre 300 nanogramas por decilitro (ng/dl) de sangue a 1.000 ng/dl. Este valor é considerado muito amplo por parte dos pesquisadores, pois as variações durante o dia podem ocorrer em até 700 ng/dl. 

Com isso, níveis menores do que 300 ng/dl, no organismo masculino, podem ser classificados como insuficientes e requerer atenção médica, especialmente quando causam sintomas como a piora do humor, concentração, disposição e libido.

Tenho um valor muito próximo a 300 ng/dl. Isso não é muito pouco?

Um estudo de 2015  da Faculdade de Medicina de Harvard (Harvard Medical School mostrou que, para homens que possuem valores menores do que 300 ng/dl , a suplementação é necessária, especialmente para melhorar o impulso sexual. 

Por outro lado, a suplementação em homens que tinham valores um pouco maiores do que 300 ng/dl não teve impacto significativo sobre esse sintoma. Em outras palavras, os problemas só começam a ocorrer mesmo quando os níveis de testosterona estão realmente abaixo dos 300 ng/dl, e não quando são só um pouco maiores.

Como a aumentar os níveis de testosterona?

É possível aumentar os níveis de testosterona de maneira natural, através da alimentação, e através do uso de suplementos ou medicamentos. Entenda:

Durma bem e relaxe

Dormir bem, atingindo o estado de REM, por mais de 5 horas seguidas é muito importante para a regulação hormonal do organismo, incluindo a produção de testosterona. Além disso, dedicar duas horas do dia para atividades de lazer, também, ajuda na regulação hormonal. 

Alimentação

A alimentação pode afetar os níveis de testosterona ao longo do dia. É importante consumir gorduras advindas de alimento como o azeite de oliva e peixes, os quais contêm ômega 3 e óleo de argan.

Além disso, alimentos como alho, pimenta e romã podem aumentar os níveis de testosterona. O consumo de cafeína, boro e vitamina D, também, está relacionado a um aumento na produção de testosterona de maneira natural.

Entretanto, antes de mudar completamente a sua dieta, é importante consultar um profissional nutricionista, preparado para oferecer a melhor dieta para cada estilo de vida e necessidades.

Suplementos

Além da alimentação, você também pode usar suplementos, como o Forteviron Testo, que auxilia no aumento dos níveis de testosterona através do ácido D-Aspártico.

O ácido D-Aspártico é um aminoácido endógeno que desempenha um papel importante na síntese de hormônios, pois regula a produção de testosterona. Ele age na glândula pituitária, onde estimula a secreção de hormônios como a prolactina, LH e GH.

Nos testículos, o ácido D-Aspártico atua diretamente nas células de Leydig e Sertoli, promovendo a liberação de testosterona.

Medicamentos

Algumas pessoas podem precisar de tratamento medicamentoso. Nesses casos, é preciso ir a um médico endocrinologista ou nutrólogo, para realizar todos os exames que confirmem a deficiência do hormônio. Só então é possível prescrever um medicamento específico para melhorar os níveis de testosterona do paciente.

Fonte(s): Toda Matéria, Endocrino.org, Dr. Victor Sorrentino, Minha Vida, Harverd, Hipogonadismo Masculino Tardio (Andropausa): Tratamento e Forteviron Testo.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *