WP
48 1

Ácido úrico desregulado: o que isso pode causar?

Quando o ácido úrico está desregulado, pode ser indicativo de diversas doenças, sendo a gota a mais prevalente. Entretanto, existem outras condições que causam anormalidades nos níveis de ácido úrico, como a Síndrome de Lesch-Nyhan, que os eleva significativamente, ou a Esclerose Múltipla, que se manifesta quando os níveis de ácido úrico estão abaixo dos valores aceitáveis.

Entenda mais sobre o ácido úrico e os problemas que os níveis desregulados desse composto orgânico podem causar no organismo:

O que é ácido úrico?

O ácido úrico é uma purina, composto orgânico produzido pelo corpo humano junto à ureia durante o início do processo de excreção – filtragem do sangue nos rins. Parte desse ácido é excretado junto com a urina, porém, outra parte permanece circulando na corrente sanguínea.

No sangue humano, a concentração normal de ácido úrico é de 3,5 a 7,2 mg/dL (miligramas por decilitro), porém vegetarianos podem apresentar níveis mais baixos. Essas alterações podem ser dividas em hiperuricemia e hipouricemia.

Hiperuricemia

A hiperuricemia ocorre quando os níveis de ácido úrico no sangue estão acima dos valores aceitáveis. Suas causas envolvem a alta ingestão de substâncias como a purina e xarope de milho com altos níveis de frutose, jejum ou perda de peso acelerada.

Certos medicamentos, como diuréticos a base de tiazida também podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue, pois interfere na Depuração Plasmática (quantidade de uma substância versus sua excretada na urina, em relação à quantidade dessa mesma substância versus devolvida à circulação sistêmica).

O problema principal e mais conhecido causado pela hiperuricemia é a gota, condição que leva a formação de depósitos de cristais de monourato de sódio nas articulações. Entretanto, também pode ser indicativo de outras condições, como a Síndrome da lise tumoral, a qual compreende um grupo de complicações metabólicas que podem ocorrer após o tratamento de câncer, geralmente linfomas e leucemias.

Hipouricemia

Os quadros de hipouricemia envolvem baixos níveis de ácido úrico no sangue. Dietas pobres em zinco e o uso de contraceptivos podem diminuir os níveis de ácido úrico.

Essa condição é menos comum do que a Hiperuricemia, mas pode ser indicativo de condições genéticas, como a esclerose múltipla.

Causas

Como vimos anteriormente, o ácido úrico elevado pode apresentar diversas causas, como dieta, efeito colateral de medicamentos ou certas doenças. Entenda cada uma delas a seguir:

Gota

O excesso de ácido úrico no sangue pode induzir a gota, uma condição dolorosa que ocorre pela formação de cristais de ácido úrico nas articulações, causando dores similares a agulhadas.

Apesar dos níveis aceitáveis de ácido úrico no sangue corresponderem a 3,5 – 7,2 mg/dL, a gota pode se manifestar em pacientes em que esses níveis são maiores do que 6 mg/dL. Por outro lado, também pode não aparecer em pacientes que apresentam até 9,6 mg/dL.

A doença ocorre porque, durante o processo de digestão de determinados alimentos, especialmente carnes como fígado, rim e certos tipos de frutos do mar, como anchovas, sardinhas, trutas e atum, o organismo libera purinas, aumentando os níveis de ácido úrico no sangue. 

O consumo de vegetais ricos em purinas, entretanto, não está associado ao aumento do risco de gota.

Doenças genéticas

A Esclerose Múltipla pode causar uma diminuição nos níveis de ácido úrico no organismo. Já a Síndrome de Lesch–Nyhan pode ocorrer devido aos altos níveis de ácido úrico no sangue.

Em ambos os casos, é possível diagnosticar a doença através de um teste genético. Nenhuma das duas doenças tem cura, mas ambas possuem tratamento.

Dietas

Como vimos anteriormente, a dieta pode interferir consideravelmente nos níveis de ácido úrico no sangue. Caso você consuma diferentes certos tipos de carne e frutos do mar, os níveis de ácido úrico podem aumentar.

Por outro lado, se você adotar uma dieta com baixos níveis de consumo de zinco, como certas dietas vegetarianas, os níveis de ácido úrico podem diminuir. Por essa razão, em ambos os casos, o ideal é consultar um nutricionista. Vale lembrar, novamente, que o jejum e as perdas muito rápidas de peso podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue.

Efeito colateral de medicamentos

Alguns contraceptivos orais estão relacionados a uma diminuição dos níveis de ácido úrico no sangue. Outro medicamento, chamado Sevelamer, uma droga indicada para o tratamento de hiperfosfatemia em pessoas com falência crônica dos rins, também pode ser responsável pela diminuição significativa do ácido úrico no sangue humano.

Tratamentos

É possível tratar os níveis de ácido úrico elevados ou abaixo dos valores aceitáveis. Em ambos os casos, mudanças na dieta podem ser necessárias, e, no caso da gota, o médico pode receitar a administração de sais de lítio e outros medicamentos para combater os sintomas da doença.

Quando os altos níveis são um efeito colateral da administração de um medicamento, a suspensão do tratamento com o medicamento em questão pode ser necessária, sem que mudanças na dieta tenham que ocorrer.

Em todo o caso, o ideal é procurar um médico e um nutricionista para acompanhar o seu caso e decidir quais os melhores caminhos a seguir. Também, é possível utilizar medicamentos como o Gotalgia, que é indicado como auxiliar no tratamento dos sintomas de gota, previamente diagnosticada, dores articulares, gotosas e reumáticas, dores e rigidez nas costas e inchaço articular.

Ainda, é indicado como auxiliar no tratamento dos sintomas das afecções relacionadas ao aparelho urinário, previamente diagnosticadas, como cólicas renais e dor ao término de urinar.

Fonte(s): Hospital São Matheus, Tua Saúde, Bula Gotalgia e Hospital Sírio-Libanês.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *