8 alimentos que aliviam o estresse

O estresse é uma reação fisiológica que se manifesta devido a situações que exigem um grande esforço mental ou emocional a serem superadas. Existem vários gatilhos que podem provocar o estresse, variando em duração e intensidade.

Com o tempo, especialmente nos casos em que não é tratado, nem prevenido, o estresse pode causar diversas doenças.

O estresse está relacionado a alergias, transtorno de pânico, infecções causadas por baixa imunidade, depressão, asma, bronquite, contração muscular crônica, enxaqueca, gastrite, obesidade e alguns tipos de câncer.

Entretanto, é possível tratar essa condição e seus sintomas através de inúmeras maneiras, como pelo uso de medicamentos ou pelo consumo de certos alimentos. Confira os principais alimentos a seguir:

Alimentos para combater o estresse

Existem diversos alimentos que podem combater e prevenir o estresse. Confira os 8 principais a seguir:

1. Chocolate amargo

O chocolate amargo possui propriedades que ajudam a combater o estresse e outras doenças, como cardiopatias, porém deve ser consumido em pequenas doses.

O estudo realizado na Alemanha em 2010 pela Sociedade Europeia de Cardiologia (European Society of Cardiology) mostrou que pacientes que consumiam  7,5 gramas de chocolate amargo por dia tiveram menor risco de problemas cardíacos e acidente vascular cerebral quando comparados a pacientes que ingeriram doses mais baixas (até 1,7 gramas por dia).

O estudo começou a ser feito em 1994 e durou 14 anos, sendo acompanhados mais de 19 mil pacientes com idade entre 35 e 65 anos.

2. Amendoim

O amendoim é um alimento que contém em sua composição uma substância chamada triptofano. Trata-se de um aminoácido que não é produzido pelo corpo e que é convertido em serotonina, um dos hormônios que proporcionam bem-estar.

No estudo publicado na Revista de Psiquiatria e Neurociência (Journal of Psychiatry & Neuroscience), voluntários utilizaram suplementos de triptofano ou placebo por um período de quinze dias.

Todos os pacientes passaram por testes de personalidades e foram definidos como argumentativos. Durante esse período de 15 dias foi verificado que a ingestão dessa substância diminuiu significativamente comportamentos do tipo “briguento” e aumentou os do tipo “agradáveis”.

3. Iogurte

O intestino é um dos órgãos mais importantes do corpo humano não somente pela sua participação na absorção de nutrientes, mas também porque está envolvido com a produção de diversos neurotransmissores, sendo chamado de “o segundo cérebro”.

Segundo o estudo da Universidade da Califórnia, realizado com 36 mulheres saudáveis, o consumo de iogurte pode diminuir a atividade cerebral em áreas que lidam com o estresse.

Ainda são necessários outros estudos para que essa correlação seja comprovada cientificamente, porém o iogurte contém diversos nutrientes importantes para o funcionamento do intestino, como cálcio e proteínas.

4. Salmão

O salmão é um alimento riquíssimo em ácidos graxos, como o ômega 3, substâncias com propriedades anti-inflamatórias. Outros alimentos ricos em ômega 3 são os peixes de água profunda, como o atum e a sardinha, bem como suplementos vitamínicos.

5. Chás calmantes

Os chás foram descobertos na China há milhares de anos, sendo utilizados no combate do estresse e diversas outras doenças. Ervas como a cidreira, melissa e camomila são as mais indicadas para a redução do estresse devido ao seu efeito carminativo (propriedade de controlar gases dos intestinos ou combater a flatulências).

Além disso, possuem propriedades vasodilatadoras, que permitem que seus efeitos sejam sentidos de maneira quase imediata, podendo combater a desidratação, o que traz alívio às funções intestinais e combate ao estresse.

6. Maracujá

O maracujá é uma fruta rica em flavonóides e alcalóides, que podem agir como depressores do sistema nervoso central, trazendo ação sedativa, tranquilizante e antiespasmódica, o que auxilia no combate ao estresse, especialmente quando exacerbado. O efeito da fruta depende da sensibilidade de cada indivíduo, entretanto, pode-se utilizar a passiflora isolada, com um efeito mais intenso.

7. Pistache

O estudo realizado pela Universidade Estadual da Pensilvânia, que acompanhou voluntários por mais de 10 anos, demonstrou que o consumo de pistache está relacionado a uma redução da resposta do organismo ao estresse.

Os pesquisadores descobriram, inclusive, que o pistache reduz os efeitos do estresse sobre a pressão sanguínea além de ser um excelente calmante.

8. Castanha de caju

A castanha de caju é um alimento rico em zinco, componente que participa da modulação de mais de 3.000 proteínas do corpo humano. Quando os níveis de zinco são baixos, há influência sobre o humor, fazendo com que o estresse se intensifique.

Além disso, a castanha é um alimento rico em ômega-3. Outros alimentos ricos em zinco são o camarão, a carne vermelha, o chocolate amargo, o grão de bico, o feijão e outros.

 Outras formas de combater o estresse

Quando mudanças na alimentação não são suficientes para aliviar os sintomas do estresse, o uso de medicamentos pode ser indicado. Esses medicamentos normalmente são psiquiátricos e controlados, exceto quando o estresse possui uma causa bem definida, como quando é causado diretamente por algum problema de saúde físico.

Contudo, como vimos anteriormente, suplementos vitamínicos podem ajudar a melhorar a saúde em geral, bem como o estresse, já que são importantes na regulação hormonal, que pode ser uma das causas do estresse elevado.

Outra opção é o uso de medicamentos homeopáticos, como o Nervocalm WP LAB, que possui ação imediata e efeito gradual, composto de substâncias ativas de origem natural, referenciadas nas matérias médicas homeopáticas em todo o mundo, que auxilia no tratamento dos sintomas da ansiedade leve e da insônia.


Fonte(s): Desinchá, Seleções, Minha Vida, Gauchazh, Tua Saúde, Uol, Boa Forma, Sempre Família, Revista Suplementação e Bula Nervocalm.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *