cálcio

Cálcio, vitamina D e magnésio ajudam na prevenção da osteoporose?

É comum as pessoas associarem a osteoporose a uma doença que afeta apenas idosos e que por isso é uma preocupação que pode ser deixada para depois. No entanto, é importante saber que a osteoporose possui fatores de risco e formas de prevenção desde já. 

Abaixo explicamos mais sobre o que é a doença, como ela se manifesta e como se prevenir. Será que o consumo de cálcio, vitamina D e magnésio ajudam na prevenção da osteoporose mesmo? Confira.

O que é osteoporose?

A osteoporose é uma doença que afeta os ossos causando degeneração e enfraquecimento. Como o nome já diz, é como se os ossos ficassem mais porosos, por isso tornam-se mais fracos e os pacientes nessa condição ficam com maiores chances de sofrerem uma fratura.

Existem alguns fatores que favorecem o desenvolvimento da osteoporose, como deficiências em minerais, doenças que afetam a absorção de nutrientes, medicamentos, alguns tipos de câncer e problemas hormonais.

No entanto, as principais causas associadas a osteoporose é a menopausa (fim da menstruação) e o envelhecimento natural do corpo. 

Por conta da menopausa ser um fator de risco, a osteoporose é uma doença mais comum nas mulheres. Isso porque durante a menopausa o organismo da mulher pausa a produção de hormônios que sempre contribuíram para o fortalecimento dos ossos, como é o caso do estrógeno (estrogênio).

Por isso, após a mulher passar pela menopausa, o risco de desenvolver a osteoporose é maior, especialmente quando não ocorre um acompanhamento médico.

A osteoporose nos homens, ainda que seja menos comum do que nas mulheres, também acontece, mas normalmente mais tardiamente.

Quais os sintomas da osteoporose?

Nem sempre os pacientes conseguem identificar a osteoporose até que uma fratura aconteça. Isso porque a osteoporose é uma doença silenciosa. Muitos pacientes só conseguem diagnosticar a doença após um acidente ou queda que, normalmente, não deveria causar nenhuma complicação. 

Por conta do processo lento de degeneração dos ossos, o diagnóstico precoce não é comum.

No entanto, existem formas de diagnosticar a doença através de exames. Quando o paciente apresenta fatores de risco para a doença, seja por idade ou condição clínica, o médico pode solicitar um exame chamado densitometria óssea, que mede a densidade do osso e a quantidade de cálcio.

O exame indica a chance do paciente desenvolver a doença. Para as mulheres, por conta da menopausa, o exame é indicado a partir dos 65 anos ou antes. Os homens podem precisar fazer regularmente após os 70 anos.

Quando a mulher tem a menopausa precoce ou prematura, antes dos 45 anos, o ideal é que o médico acompanhe o quadro, peça exames e se for necessário indique reposição hormonal.

Como prevenir a osteoporose?

A melhor forma de se prevenir contra a osteoporose é entendendo os fatores de risco para a doença. A partir disso, é possível entender as formas de prevenção. De modo geral, existem práticas que são um consenso, como por exemplo o consumo de minerais essenciais para os ossos e o exercício físico.

Exercício físico

O osso é uma estrutura fundamental em nosso organismo, permitindo a sustentação do nosso corpo e os movimentos. Por estar diretamente ligado aos músculos, quando ocorre a atrofia muscular, os ossos também são prejudicados. 

Com a prática de alguma atividade física, a musculatura é estimulada e os ossos tornam-se mais resistentes e protegidos.

Alimentação

O cálcio, assim como o magnésio e outras vitaminas são essenciais para a saúde óssea. Por isso, uma das formas de prevenir a osteoporose se dá pela alimentação balanceada. Ou seja, ingerir alimentos ricos nesses nutrientes é fundamental. Além do leite, o cálcio também está presente na soja, folhas escuras, sardinha, quiabo, chia, grão-de-bico, brócolis e vários outros alimentos.

Suplementação

Quando a pessoa não consegue obter a quantidade de nutrientes essenciais pela alimentação ou por conta de complicações que prejudicam a absorção, o uso de suplementação é indicado. 

Existem hoje vários exemplos de suplementos multivitamínicos que são fonte de cálcio, magnésio e vitaminas, como o  Forteviron® Vitamin A-Z Men 50+.

Nesses casos, além de consultar sempre um especialista, é importante ler a bula e ter cuidado com a dosagem.

Suplementação de cálcio, vitamina D e magnésio ajudam na prevenção?

A suplementação pode ajudar a prevenir a osteoporose, mas é importante uma avaliação profissional de cada caso para entender os fatores de risco e necessidades individuais do paciente.

O cálcio é um dos principais elementos que ajuda a tornar os nossos ossos saudáveis e rígidos. Por isso, a recomendação de consumo de cálcio é essencial para fortalecê-los. 

A principal fonte de cálcio que temos ao longo da vida vem da alimentação, especialmente dos laticínios.  

Portanto, além de ingerir a quantidade mínima de cálcio nas refeições diárias, precisamos também, de outras vitaminas e minerais, como o magnésio e a vitamina D, que ajudam na absorção do cálcio.

Em média, precisamos consumir entre 800mg a 1000mg de cálcio ao dia, o que pode variar para mais ou menos de acordo com a fase de vida da pessoa. Com uma alimentação balanceada, é possível consumir essa quantidade de cálcio, mas nem sempre as pessoas conseguem manter uma dieta balanceada.

Além disso, como vimos, existem fatores que prejudicam a absorção dos nutrientes e fatores que aumentam o risco da osteoporose, como a queda hormonal nas mulheres. 

Em casos como esses, a suplementação de cálcio é essencial como prevenção primária. Em pacientes diagnosticados com osteoporose, o uso de suplementação muitas vezes é indicado como tratamento auxiliar ao lado do uso de medicamentos específicos.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *