colica- biliar
WP
39 1

Cólica biliar: o que preciso saber?

A cólica biliar é um problema que afeta entre 10% e 15% da população adulta, causando crises de dores agudas, que podem ser tão intensas que o paciente não consegue achar uma posição confortável para se acomodar.

Entenda mais sobre essa doença, quais os seus sintomas e como realizar um tratamento e aliviar as dores das crises no texto a seguir.

O que é cólica biliar?

A cólica biliar é uma dor que surge na parte superior direita do abdômen, podendo irradiar para o ombro. Ela surge como resultado da formação de pedras na vesícula biliar, que bloqueiam temporariamente o ducto cístico, por onde sai a bile.

A dor causada pela cólica biliar geralmente dura algumas horas e frequentemente se manifesta depois de uma refeição farta ou durante a noite. Também, é muito comum ataques sucessivos de dor.

O que causa a cólica biliar?

A cólica biliar ocorre pela formação de cálculos biliares (pedras na vesícula). Esses cálculos têm origem na precipitação de cristais que se agregam para formar pedras, as quais interrompem a liberação de bile, havendo crises de dor intensa.

O tipo de cálculo mais comum é constituído por colesterol. Outros possíveis constituintes são o cálcio, a bilirrubina, pigmentos ou podem surgir os cálculos mistos.

Quando aparecem em outros órgãos e em outras condições, os cálculos podem produzir sintomas semelhantes à apendicite, úlcera péptica, pancreatite e doença do refluxo gastroesofágico.

Quais os sintomas da cólica biliar?

A maior parte dos pacientes com cálculos biliares não sente nenhum desconforto, pois a maioria é assintomática. 

Contudo, em alguns casos, a intolerância a alimentos gordurosos pode fazer a vesícula se contrair, causando sintomas como mal-estar, enjoos, dores de cabeça e dor do lado direito do abdômen, podendo irradiar para a bexiga ou para o ombro.

Quando a dor é intensa e contínua e em certos períodos agrava-se do lado direito do abdômen, abaixo da costela, trata-se de um dos indicativos da cólica biliar. Nesses casos, é importante consultar um médico com urgência, pois pode ser necessária uma intervenção cirúrgica para que o problema cesse.

Ainda, existem outros sinais e sintomas que podem indicar a presença de pedras na vesícula. Entenda mais sobre cada um deles a seguir.

Náuseas e vômitos

Uma característica das dores relacionadas à cólica biliar é o acompanhamento de náuseas e vômitos, especialmente após a ingestão de uma quantidade excessiva de alimento, principalmente os que são ricos em gorduras. 

É comum o paciente sentir um mal-estar generalizado acompanhado de dores de cabeça de origem gastrointestinal. Sintomas como sensação de peso no estômago e regurgitação também podem se manifestar, embora não sejam específicos dos cálculos vesiculares. 

Inchaço abdominal

É possível que alguns pacientes apresentem inchaço abdominal. Isso ocorre devido à falta de bile no processo da digestão, o que aumenta a produção de gases. 

Fezes pálidas e urina escura

As fezes possuem uma coloração amarronzada devido a uma substância chamada bilirrubina, pigmento presente na bile. Pacientes com cálculos vesiculares, como não conseguem liberar essa substância devido a presença dos cálculos, podem apresentar fezes mais claras do que o normal.

Ao mesmo tempo, todo o excesso de bilirrubina é absorvido pelo sangue e é eliminado através da urina, deixando-a com uma coloração mais escura.

Esses sintomas podem indicar uma complicação denominada coledocolitíase, a qual ocorre quando um cálculo renal se desloca e impede a chegada de bile no intestino. Trata-se de uma condição grave que requer atendimento médico de emergência.

Icterícia (pele e olhos amarelados)

Outro sintoma que pode ocorrer devido a presença de pedras na vesícula é a icterícia. Nesses casos, a parte branca dos olhos e a pele ficam com uma coloração amarelada. Isso ocorre devido ao excesso de bilirrubina no sangue. Assim como as fezes pálidas e a urina escura, esse sintoma pode ser indicativo de quadros mais graves.

Portanto, não hesite em procurar ajuda médica imediata, especialmente se a icterícia vier acompanhada de febre alta e calafrios, o que pode indicar o comprometimento do pâncreas.

Qual o tratamento da cólica biliar?

O principal tratamento para os ataques de cólica biliar geralmente consiste na remoção cirúrgica da vesícula biliar. Essa cirurgia pode ser realizada através de uma pequena incisão minimamente invasiva ou através de uma incisão maior.

A cirurgia aberta com incisão maior está associada a um maior número de complicações do que as incisões pequenas, mas o risco de ambas é baixo. Normalmente, a cirurgia é feita sob anestesia geral.

Para pacientes em que não é possível realizar a intervenção cirúrgica, pode ser indicado o uso de medicamentos que dissolvem os cálculos vesiculares. 

Também é possível fazer o uso de medicamentos como o Kologlan, de ação imediata e efeito gradual que auxilia no tratamento dos sintomas decorrentes de cólicas biliares, intestinais e renais, nas quais as dores irradiam do ureter para a bexiga.

Como aliviar a dor durante uma crise de cólica biliar

Durante uma crise de cólica biliar é ideal ir ao médico rapidamente para que esse profissional avalie a gravidade da situação, pois, como vimos anteriormente, em certos casos, há a necessidade de cirurgia.

Contudo, as principais recomendações para aliviar a dor de uma crise de cólica biliar é o uso de analgésicos comuns. Em casos de cólicas intensas, a medicação deve ser ministrada de forma injetável. Então, caso esteja sofrendo de uma crise de cólica biliar, procure um médico.

Fonte(s): CUF, Dicas de Mulher, Mds Manuais, Medprev e Bula Kologlan.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *