WP
50 0

Cólica renal: causas, sintomas, tratamentos e prevenção

A cólica renal é uma condição que pode causar grande desconforto e dor nos pacientes, mas que pode ser facilmente prevenida com mudanças de hábitos e consultas periódicas ao médico.

Ingerir uma quantidade suficiente de água, por exemplo, é uma das principais medidas para evitar as temidas pedras nos rins. Confira abaixo mais sobre essa condição:

O que é Cólica Renal?

Cólicas renais são episódios de dor intensa na região lateral das costas ou na bexiga, causadas pela presença de cálculos (pedras) nos rins. Os cálculos renais são formados devido ao acúmulo de pequenos cristais em forma de uma massa sólida que podem ser encontrados tanto nos rins quanto em qualquer outra região do trato urinário.

A formação de cálculos renais gera crises de dor aguda, como cólicas renais, pois provocam a inflamação do local onde estão aderidas, além de obstruírem o fluxo da urina.

Agravantes da Cólica Renal

O principal agravante da cólica renal é a dor lombar aguda, unilateral, de forte intensidade que se irradia para a região frontal do abdômen. Essa dor intensa normalmente acontece devido a passagem do cálculo pelos ureteres.

Entretanto, ainda podemos destacar outros sintomas que podem surgir, como:

  • Vômitos;
  • Febre;
  • Sangue na urina;
  • Suspensão ou diminuição do fluxo urinário;
  • Vontade frequente de urinar;
  • Infecções urinárias.

Causas da Cólica Renal

A cólica renal é causada devido à presença de pedras nos rins ou em outras partes do trato urinário. Suas causas são as mesmas dos cálculos renais, ou seja, a cólica renal acontece quando depósitos sólidos de cristais se formam no trato urinário. Isso ocorre devido a: 

  • Produção insuficiente de urina;
  • Urina supersaturada de sais;
  • Quantidade excessiva de cálcio, fosfatos, oxalatos, cistina ou falta de citrato;
  • Distúrbios metabólicos do ácido úrico ou da glândula paratireoide;
  • Alterações anatômicas;
  • Obstrução das vias urinárias.

Fatores de risco

Existem diversos fatores de risco que aumentam as chances de se ter cólica renal. Confira os principais.

Fatores genéticos

O histórico familiar pode ser destacado como um dos fatores responsáveis pela cólica renal. Pacientes com familiares que já tiveram cálculos renais e cólica renal estão mais propensos a desenvolver o problema.

Baixa ingestão de água

A baixa ingestão de água é um dos hábitos que pode levar ao desenvolvimento de pedras nos rins. Isso ocorre, porque, com menos água no sangue, a formação de cristais no trato urinário fica facilitada, o que pode gerar problemas posteriores.

Dietas ricas em sódio ou proteínas

Uma dieta rica em sódio, alimentos industrializados, refrigerantes, embutidos e carnes em excesso pode aumentar a absorção de cálcio pelo organismo, facilitando a formação de cálculos renais.

Doenças do trato gástrico

Doenças como a inflamação gastrointestinal, diarreia crônica e procedimentos cirúrgicos podem causar mudanças no processo digestivo e afetar a absorção de cálcio e água, aumentando o risco de formação de cálculos renais.

Consumo excessivo de vitamina C

Apesar de benéfico ao organismo, o consumo de vitamina C deve ser balanceado, pois o organismo só consegue absorver as vitaminas até certo limite. Quando a vitamina C é metabolizada pelo fígado, ocorre a produção do oxalato de cálcio, o que pode levar ao surgimento posterior de cálculos renais.

Tratamentos

O tratamento da cólica renal se dá pelo tratamento das pedras nos rins. Por isso, é importante ouvir a avaliação de um médico especialista, pois podem ser necessários procedimentos cirúrgicos ou medicamentos.

Existem medicamentos que podem atuar no alívio imediato de dores e desconfortos causados pela cólica renal, como o Kologan, que ajuda nos sintomas de cólicas renais, intestinais e  biliares.

O uso deste medicamento deve ser feito com acompanhamento médico, sendo indispensável buscar o tratamento para tratar a causa da cólica renal.

Como prevenir a cólica renal?

Para prevenir a cólica renal, é preciso prevenir a formação das pedras nos rins. Para isso, existem algumas atitudes simples que você pode tomar imediatamente. Entenda:

Hidratação

Para o bom funcionamento do corpo humano, é necessário ingerir pelo menos de 2 a 3 litros de água por dia. Como a principal causa das pedras nos rins é a desidratação, ingerir uma quantidade suficiente de água é o primeiro passo para evitar a cólica renal.

É importante ressaltar que a quantidade ideal de água a ser tomada por dia pode variar de acordo com o peso, devendo-se consumir cerca de 35mL de água para cada Kg de peso. Dessa forma, uma pessoa de 75kg deve beber pelo menos 2,45 L de água por dia.

Evitar o consumo excessivo de proteínas

A ingestão exagerada de proteínas na forma de carnes, suplementos e produtos de origem animal, como a manteiga, por exemplo, aumenta a produção de ácido úrico, um dos principais causadores dos cálculos renais.

Diminuir o consumo de sal

O sódio, um dos principais componentes do sal de cozinha, facilita o acúmulo de cristais no trato urinário. Por essa razão, o seu consumo deve ser balanceado.

Além do sal de cozinha comum, dentre os produtos ricos em sal e que devem ser consumidos moderadamente, podemos destacar:

  • Temperos em cubos;
  • Molhos para salada;
  • Macarrão instantâneo;
  • Carnes processadas, como bacon, presunto, mortadela;
  • Pão;
  • Bolacha de maisena;
  • Biscoitos recheados.

Evitar o consumo de alimentos ricos em oxalato

O excesso de oxalato na alimentação pode gerar a formação de cristais de oxalato de cálcio. Dentre os principais alimentos a serem evitados podemos destacar:

  • Amendoim;
  • Ruibarbo;
  • Espinafre;
  • Beterraba;
  • Chocolate;
  • Chá preto;
  • Batata doce.

Esses alimentos devem ser consumidos somente em pequenas quantidades, mas uma boa estratégia para diminuir seus efeitos nocivos é consumi-los juntamente com produtos ricos em cálcio, como leite e derivados. O cálcio presente nesses alimentos vai reduzir a absorção de oxalato no intestino, diminuindo as chances da formação de cálculos renais.

Fonte(s): Minha Vida, Tua Saúde, Guia Da Farmácia e Bula Kologan.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *