Como manter a imunidade alta durante o inverno?

Como manter a imunidade alta durante o inverno?

Alterações de temperatura consideráveis do dia para a noite, a baixa umidade do ar e ambientes fechados aglomerados de pessoas são algumas das situações que caracterizam o inverno. Junto a elas, também está associado a esta estação — mesmo que possa acontecer em outras, pois não há regra para isso — o aumento dos casos de contágio de vírus que podem acometer as vias respiratórias das pessoas.

Estas infecções que causam gripe e resfriado, muitas vezes, são facilitadas devido ao sistema imunológico do paciente não estar totalmente fortalecido, o que pode acarretar em alguns sintomas como coriza, dores pelo corpo, tosse, febre e até falta de ar.

Ou seja, no período do inverno tem-se o ambiente perfeito para que estas condições médicas comecem a aparecer e o número de pacientes com problemas respiratórios, por exemplo, começa a subir.

Assim, em tempos de inverno, manter uma boa imunidade é essencial e é um objetivo que merece atenção por parte de todos(as). Afinal, o ar frio e seco que caracteriza a estação é conhecido por ser imunossupressor, isto é, que pode agredir o organismo e facilitar o contato de agentes externos com o corpo humano. Daí a necessidade de melhorar as defesas naturais para evitar ficar doente.

Mas, então, como manter a imunidade alta durante o inverno? Achar a resposta desta questão é o que este texto se propõe a fazer. Reunimos para você uma série de informações sobre causas e sintomas  da imunidade baixa, bem como dicas para fortalecer o sistema imunológico, principalmente nesta época do ano. Vamos lá?

O que causa a imunidade baixa?

A imunidade baixa pode ser causada por uma série de fatores que estão associados direta ou indiretamente ao estilo de vida das pessoas, tais como:

  • Alimentação inadequada: consumir comida processada com certa frequência e deixar de alimentar-se com alimentos frescos e hortifrutis segundo indicações profissionais;
  • Sedentarismo: a ausência de atividades físicas regulares podem comprometer a saúde do corpo humano, assim como seu sistema imunológico;
  •  Vícios em geral: fumar e beber excessivamente prejudica a saúde e bem-estar das pessoas, afetando consequentemente a defesa natural do organismo;
  • Fadiga e estresse: noites mal dormidas podem acarretar algumas consequências como o estresse, condição que pode enfraquecer o sistema imune;
  • Doenças e outras condições médicas: existem algumas doenças que podem ser imunossupressoras, como o diabetes, problemas cardíacos e pulmonares, câncer e HIV são alguns exemplos;
  • Hereditariedade: segundo estudos, a baixa imunidade também pode ser adquirida de geração para geração, nas quais as pessoas podem já nascer com o sistema imunológico enfraquecido.

Quais os sintomas da imunidade baixa?

Existem alguns sinais que podem indicar a presença de baixa imunidade. Por isso é importante conhecer seu corpo e atentar-se sempre que surjam algumas situações, tais como:

  • Infecções recorrentes, como amigdalite ou herpes;
  • Doenças passageiras, como a gripe, que demoram para passar ou que se agravam facilmente;
  • Calafrios e febre constantes;
  • Olhos secos;
  • Fadiga excessiva;
  • Náuseas e vômitos;
  • Manchas vermelhas ou brancas pela pele;
  • Queda considerável de fios de cabelo;
  • Diarreia por mais de 2 semanas.

Caso um destes sintomas apareçam repentinamente — podendo aparecer em conjunto —, torna-se indispensável a procura por alternativas que visem o fortalecimento da imunidade. O próximo tópico trata exatamente sobre isso, sobre como manter a imunidade alta durante o inverno. Fique ligado(a)!

Como manter a imunidade alta no inverno e fortalecer o organismo?

1. Aposte em uma alimentação saudável

Parece óbvio, mas investir em uma alimentação adequada é uma alternativa simples e certeira para fortalecer a defesa do corpo humano. Isso porque existem alguns alimentos cujas propriedades que os compõem são de alto valor ao sistema imunológico, tais como:

  • Gengibre: é rico em antioxidantes e com substâncias antibacterianas; 
  • Alho: é composto por alicina, um princípio ativo que estimula a resposta imunológica;
  • Iogurte: sejam eles naturais ou fermentados, ambos possuem microrganismos que atuam no fortalecimento do sistema imune;
  • Frutas cítricas: laranja, limão, acerola e o kiwi, são exemplos de frutas que se encaixam nesta classificação. São alimentos ricos em vitamina C, que possui propriedades antioxidantes que reforçam a imunidade;
  • Pimenta e cenoura: são fonte de betacaroteno que, em contato com o organismo, transformam-se em vitamina A, ajudando o organismo a se proteger contra infecções;
  • Semente de girassol: é fonte de vitamina E, cujas propriedades asseguram nosso corpo contra a infecção de toxinas que possam acometer o organismo;
  • Alimentos ricos em zinco: podem ser carne, cereais integrais, sementes em geral e leguminosas (feijão, grão de bico, ervilha etc). O zinco é um forte aliado no combate a gripes e resfriados;
  • Geleia real: é conhecida como a substância que as abelhas operárias produzem para alimentar a abelha rainha. É rica em antioxidantes e outros nutrientes, que ajudam a fortalecer o organismo contra gripe, resfriado e outras infecções do trato respiratório.

2. Priorize o seu sono

Procure dormir adequadamente, separando pelo menos de 6 a 8 horas de sono por noite. Noites de sono irregulares podem ser um dos principais fatores que causam imunidade baixa, porque o organismo necessita descansar para repor as energias.

Como manter a imunidade alta durante o inverno?

3. Evite situações estressantes

Preocupações excessivas que causam estresse podem ser responsáveis pela baixa imunidade. Sejam mudanças bruscas na vida, tensões no trabalho, ou até mesmo situações corriqueiras do dia a dia, se acontecerem em grande intensidade, tais situações podem dificultar o funcionamento adequado do corpo, resultando em uma porta de entrada para possíveis doenças e infecções. 

Por isso, para amenizar tais situações, invista em atividades que lhe dão prazer, seja exercício físico, música, leitura, filmes, entre outras. O importante é ocupar e alcançar o bem-estar da sua mente.

4. Hidrate-se corretamente

A máxima aqui é: não espere sentir sede para beber água. Isso porque o consumo eficaz de líquidos — em especial água — limpa as impurezas do organismo, auxiliando na prevenção de doenças e infecções. 

A quantidade ideal de água varia de pessoa para pessoa (segundo idade e peso de cada um), bem como o local (clima e temperatura) em que vivem. Porém, a quantidade indicada é a ingestão de pelo menos dois litros de água por dia.

Outras maneiras de garantir um sistema imunológico fortalecido

Agora que você sabe mais sobre como manter a imunidade alta durante o inverno, saiba que existem outras maneiras de garantir o fortalecimento do organismo. Afinal, mesmo com a adoção de boas práticas de vida, estamos sujeitos a ter uma baixa na imunidade.

É por isso que, caso você perceba o aparecimento de sintomas, a avaliação médica, neste contexto, é imprescindível. É a partir da opinião profissional, somada ao diagnóstico preciso, que será definida a melhor opção para otimizar e fortificar esta defesa natural do corpo humano. Muitas vezes, esta opção é a utilização de suplementos alimentares, como o FORTEVIRON® VITAMIN A-Z Men e o NUTRIPHYSICAL® – VITAMINA C. Ambos encontram-se disponíveis em todas as farmácias do Brasil, bem como no site Clique Bem Estar.

O FORTEVIRON® VITAMIN A-Z Men consiste em um suplemento alimentar livre de açúcar indicado às pessoas que desejam manter-se fortes em todos os sentidos, pois foi desenvolvido especialmente para homens que buscam qualidade de vida, desempenho e bem-estar. Ele atua como auxiliar no fortalecimento do sistema imunológico, no metabolismo de proteínas e no combate aos radicais livres que podem atingir o organismo.

Já o NUTRIPHYSICAL® – VITAMINA C é uma fonte saudável de vitamina C que, em formato de suplemento alimentar em comprimidos, auxilia no fortalecimento da imunidade devido à presença de antioxidantes que combatem radicais livres.

Fonte(s): Amigos Múltiplos pela Esclerose, Governo do Estado de São Paulo, Farmacotécnica e Unimed – Santa Bárbara d’Oeste e Americana.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *