Como saber se a minha ansiedade está passando dos limites?

Sentir ansiedade é algo muito comum em determinadas situações, sendo uma reação do ser humano considerada normal e muito ligada ao instinto de sobrevivência. Ou seja, é um estado psíquico benéfico quando moderado, pois nos alerta de situações perigosas. 

O nervosismo e agitação diante de algumas circunstâncias, como apresentações em público, entrevistas de emprego ou provas, é algo considerado natural e muito frequente. 

No entanto, quando a ansiedade começa a manifestar sintomas físicos e psicológicos que afetam o dia a dia, é um alerta de que está na hora de procurar ajuda de um profissional especializado e buscar um tratamento adequado. Abaixo explicamos como entender e perceber os sinais que o corpo e a mente podem estar apresentando!

O que é a ansiedade?

Segundo definição estabelecida pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), a ansiedade é a antecipação ou expectativa de uma ameaça futura acompanhada de medo, desconforto ou preocupação excessiva.

Essa ansiedade pode ser leve ou grave, trazendo diversos prejuízos à vida pessoal, profissional e social de quem sofre com o transtorno.

Atualmente, a ansiedade é um dos transtornos mentais mais comuns no mundo, sendo conhecida como o “Mal do Século”. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (2019), o Brasil é o país com maior porcentagem de pessoas com algum grau de ansiedade no mundo.

Uma rotina estressante, dificuldade em lidar com frustrações, cobranças, sobrecarga de atividades e vários outros fatores externos podem agravar ou ser a causa da ansiedade. 

Existem diferentes tipos de transtorno de ansiedade, sendo eles: agorafobia, síndrome de pânico, mutismo seletivo, fobias específicas, transtorno de ansiedade de separação e o transtorno de ansiedade generalizada.

Quais os sintomas da ansiedade?

A ansiedade pode se manifestar de diferentes formas e intensidades. No entanto, existem alguns sintomas característicos do transtorno que ajudam no diagnóstico e que são avaliados para entender qual o tratamento adequado. Eles se dividem em sintomas psicológicos e físicos.

São esses sintomas que devemos ficar atentos e perceber em que nível podem afetar o dia a dia. Veja:

Sintomas físicos

Entre os sintomas físicos mais comuns em um quadro de ansiedade, os mais observados incluem:

  • Aumento da frequência cardíaca (taquicardia);
  • Dor no peito;
  • Sensação de falta de ar ou dificuldade de respirar;
  • Respiração rápida ou hiperventilação;
  • Transpiração intensa e fria;
  • Espasmos musculares;
  • Insônia;
  • Hábito de roer as unhas;
  • Dificuldade de ter foco;
  • Problemas digestivos (constipação e diarreia).

Sintomas psicológicos

Os sintomas psicológicos nem sempre são fáceis de diagnosticar, mas são, de modo geral, os que mais afetam o dia a dia do paciente com ansiedade. Os principais sintomas e comportamentos são:

  • Medo irracional a todo momento;
  • Preocupação exagerada;
  • Insegurança e baixa autoestima;
  • Agitação;
  • Nervosismo e sensação de estar sempre alerta para algo de ruim que possa acontecer;
  • Evitar ir a lugares ou situações específicas de medo;
  • Obsessões.

Sinais de alerta: quando me preocupar?

A ansiedade, como vimos, é uma reação normal do ser humano. No entanto, ela pode se agravar ao ponto de ser considerada um transtorno e, então, atrapalhar tarefas do dia a dia. É importante ficar sempre alerta aos sintomas, mesmo quando leves, e buscar formas de tratamento. 

Conhecer os sintomas físicos e psicológicos é o primeiro passo. Buscar ajuda de um médico psiquiatra ou terapeuta é o próximo. Se os sintomas de crises de ansiedade estiverem atrapalhando sua rotina, é hora de buscar ajuda e tratamento.

Como lidar com a ansiedade?

O tratamento de um quadro de ansiedade pode ser feito em diferentes abordagens. Primeiramente, o diagnóstico é feito através da ajuda de profissionais, como médicos psiquiatras e psicólogos, os quais irão indicar um tratamento, seja medicamentoso ou por meio de terapia.

Ajuda profissional

O paciente com ansiedade pode necessitar um tratamento medicamentoso e não medicamentoso, com a ajuda de um psiquiatra e um psicólogo. O paciente, então, deve adequar-se ao tratamento proposto. 

Medicamentos

Em alguns casos de transtorno de ansiedade, o psiquiatra pode entender que o uso de medicamento seja necessário para controlar os sintomas. Assim, junto ao tratamento com o psicólogo, o paciente consegue controlar a ansiedade e levar uma vida com mais qualidade.

O uso de medicamentos só deve ser feito com a avaliação do médico, pois ele entenderá qual será a dosagem e o medicamento adequado para cada caso. O Nervocalm WP LAB é um exemplo de medicamento que pode ser indicado para pacientes com ansiedade leve e insônia. 

Ter uma rotina

A ansiedade grave pode ser um dos maiores desafios na manutenção de uma rotina, pois os sintomas tornam-se tão prejudiciais que o paciente se sente paralisado diante das obrigações. 

Ainda, durante o tratamento, é importante buscar uma rotina com um horário estipulado para dormir, levantar, estudar e trabalhar, alimentar-se adequadamente e permitir-se um tempo de lazer para manter hábitos saudáveis. 

Meditação, yoga e exercícios físicos

Praticar atividade física e exercícios de relaxamento, como a meditação e o yoga, podem ajudar nos momentos de crise e no controle da ansiedade, especialmente por serem atividades que trabalham a respiração.

Fonte(s): Bula Nervocalm, Minha Vida e The Burden of Mental Disorders in the Region of the Americas, 2018

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *