Eczema alérgico: o que é e como tratar?

A palavra “eczema” refere-se a um conjunto de no mínimo 6 (seis) condições de natureza inflamatória, que causam sintomas como manchas avermelhadas, coceira e feridas na pele. Esse conjunto de reações inflamatórias também pode ser chamado de dermatite.

O tipo de eczema varia de acordo com suas causas, sintomas e locais do corpo que está atingindo e não se trata de uma doença contagiosa, mas sim de uma doença que não tem cura, porém pode ser tratada e prevenida.

Entenda mais sobre o que é o eczema no texto a seguir:

O que é eczema?

Dá-se o nome de eczema ou dermatite às inflamações que provocam manchas vermelhas, bolhas e coceira na pele, que muitas vezes tem como resultado o surgimento de lesões de aspecto grosseiro.

Mais comum na infância, esse problema atinge 20% das crianças em algum momento da infância. Durante a vida adulta, apesar da prevalência ser menor (4%), os riscos de aparecerem sintomas mais graves é muito maior.

Outro grande problema causado pelo eczema é que o aspecto da pele lesionada pode trazer prejuízos sociais, pois outras pessoas podem sentir receio de contaminação, sendo esta reação mais comum entre crianças.

Esse medo, entretanto, é infundado. O eczema não é uma doença contagiosa, portanto não pode ser transmitido de uma pessoa para outra.

Tipos de eczema

O eczema ou dermatite pode ser divido em no mínimo 6 tipos. Veja quais são eles e entenda as particularidades de cada um a seguir:

Eczema atópico

O eczema atópico é o tipo mais comum de eczema. Ele costuma surgir a partir do segundo mês de vida, causando coceira intensa especialmente no rosto e nas dobras dos braços e pernas. Também, está relacionado a alergias, como a rinite e a asma.

Este tipo de eczema pode ser despertado ou agravado devido a tensões emocionais, alterações climáticas, fungos, ácaros, pelos de animais, roupas de lã e outros.

Eczema de contato

O eczema de contato surge a partir do contato com materiais ou produtos capazes de provocar irritações ou alergias na pele, que costumam atingir em especial as mãos, os pés, o pescoço e a face.

Os gatilhos mais frequentes para o surgimento desse tipo de eczema são tinta para o cabelo, esmalte de unhas, removedor de esmalte, loção pós-barba, artigos de higiene com fragrância, níquel, borracha e látex, repelentes de insetos e o contato com algumas plantas, como a hera-venenosa e cascas de manga.

Esse tipo de eczema costumava ser mais comum em grupos como profissionais da área da saúde, da limpeza e profissionais que lidam constantemente com produtos abrasivos.

Contudo, desde o início do surto de coronavírus, o problema tem se tornado mais comum justamente devido à lavagem mais frequente das mãos e ao uso de sabonetes bactericidas e álcool em gel.

Eczema numular

O eczema numular não possui causa definida e caracteriza-se por manchas em formato de moeda. Essas costumam apresentar crostas e bolhas que podem se distribuir por todo o corpo. Esse tipo de eczema é mais comum em pessoas de meia-idade e idosas, principalmente naquelas que possuem o tipo de pele seca.

Eczema de estase

O eczema de estase é uma inflamação localizada na pele. É causado devido à má circulação, que diminui a oxigenação e nutrição dos tecidos da pele, fazendo com que apareça principalmente na parte inferior das pernas. 

É mais comum em pessoas com veias varicosas (com varizes) ou que sofrem com inchaço nos membros inferiores.

Eczema disidrótico ou disidrose

Também conhecido como disidrose, o eczema disidrótico caracteriza-se pelo surgimento de bolhas avermelhadas e cheias de líquido na palma das mãos, nas laterais dos dedos ou na planta dos pés.

Esse tipo de eczema é mais frequente em adolescentes e jovens adultos, sendo causado principalmente devido a micoses, tensão emocional e dermatite de contato.

Eczema esfoliativo

O eczema esfoliativo é uma inflamação grave que pode causar risco de vida. Esse eczema causa vermelhidão, rachaduras e descamação de toda a superfície da pele, fazendo com que se desprenda em grandes escamas. Também, pode levar cabelos e unhas a se soltarem do corpo.

Na maior parte das vezes, as causas do eczema esfoliativo são desconhecidas, mas esse já foi relacionado ao uso de medicamentos como antibióticos e barbitúricos ou como uma complicação de outras doenças de pele, linfomas ou leucemias.

O que causa eczema?

Como visto, existem diversos tipos de eczema e a causa pode variar. De forma geral, a causa está relacionada ao contato com agentes que irritam a pele ou como consequência do uso de alguns medicamentos.

Tratamentos

A melhor maneira de tratar o eczema é iniciar com a procura de uma opinião médica dermatologista. Assim, é possível realizar um diagnóstico através de exames clínicos específicos para se determinar qual o tipo de eczema está afetando o paciente.

O tratamento é realizado de acordo com o tipo de eczema e através de práticas que podem fazer diminuir o problema. Por exemplo, no eczema de contato, o principal tratamento é evitar o contato com o material que levou à formação do eczema.

Para o tratamento do eczema de estase, por sua vez, a alteração na circulação é uma maneira de controlar os quadros. Já os eczemas numular e atópico, por outro lado, requerem tratamentos que ajudem a manter a hidratação, o que ajuda a manter a barreira de proteção da pele saudável e funcionando.

Por fim, é possível a indicação de medicamentos como o Alerginyl, que é um auxiliar no tratamento dos sintomas de processos alérgicos que envolvem coriza, espirros, obstrução nasal, afecções nos olhos, como inflamação e inchaço nas pálpebras, irritação cutânea, urticária, prurido e eczema.

Fonte(s): SDB, Medprev, Cuf, MDSaúde e Bula Alerginyl

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *