WP
70 0

Espirros excessivos: o que pode ser?

O nariz é encarregado de limpar e filtrar o ar inalado, utilizando as mucosas contidas nas paredes nasais para reter partículas indesejadas, que posteriormente serão digeridas no estômago. Ou seja, assim que o pólen, a poeira, ácaros, vírus ou bactérias entram em contato com nosso nariz, e causam um aumento expressivo na sensibilidade, ocorre o espirro.

Esta é uma reação natural do nosso corpo que objetiva expulsar substâncias estranhas que invadem o organismo por meio das vias respiratórias. Trata-se de um reflexo involuntário que, de forma repentina, chega sem avisar a partir da contração dos músculos das costas e abdômen na tentativa de expulsar o ar dos pulmões.

Contudo, quando ocorre de forma constante, essa condição pode indicar alguns quadros mais complexos, que merecem nossa atenção. Neste texto, iremos abordar situações que podem causar espirros excessivos — ou esternutação — e algumas sugestões de como tratar e/ou diminuir sua incidência. Confira:

Possíveis causas que estão por trás dos espirros excessivos

Rinite alérgica

Os espirros constantes, quase sempre, estão ligados a quadros de rinite alérgica. Esta é uma doença inflamatória crônica que ataca a mucosa nasal e se manifesta, principalmente, após exposição a substâncias alérgenas. Estas provocam uma inflamação a partir da reação do sistema imunológico.

Juntamente com os espirros excessivos, a condição médica vem acompanhada de outros sintomas como coriza, congestão nasal, tosse, dor de garganta e lacrimejamento dos olhos.

Importante: o diagnóstico de uma rinite alérgica se faz, necessariamente, a partir da consulta com um clínico geral que, se baseando nos sintomas, realizará exames de sangue e testes de alergia para identificar a causa dos sintomas que surgem.

Contato com pó ou ácaros em excesso

O pó, ou poeira, é um grande causador dos espirros excessivos e pode, também, ser uma das causas da rinite alérgica. Neste caso a esternutação ocorre, principalmente, pela presença do acúmulo de ácaros — pequenos bichos invisíveis a olho nu — em tapetes, cortinas, lençóis e fronhas.

Geralmente o espirro se dá durante ou após a realização de faxinas ou quando entramos em locais que ficaram fechados por muito tempo. Acompanhados ao ato de espirrar têm-se coceira no nariz, tosse seca, vermelhidão nos olhos e dificuldade para respirar.

Estações do ano e mudanças bruscas de temperatura

Os espirros ininterruptos também podem ser verificados quando ocorrem as mudanças nas estações de ano — no outono, por exemplo, quando as chuvas tendem a diminuir deixando o ar seco e frio. Este tipo de ar é visto como um agente irritante quando chega às vias respiratórias, inflamando-as.

Outro fator determinante que nos faz espirrar são os ar condicionados, responsáveis por deixar o ar muito frio ou muito quente, além de seco. Esta mudança súbita de temperatura — quando entramos ou saímos de algum ambiente — provoca irritação na mucosa do nariz.

Resfriado

Uma das situações mais comuns que nos deixam espirrando mais do que o normal é, sem dúvidas, o resfriado. Trata-se de uma infecção provocada por vírus ao entrar em contato com nosso organismo pela boca, olhos e nariz e, mesmo sendo associado sobretudo ao inverno, pode surgir em qualquer época do ano.

Aqui as crises de espirro são o resultado de uma irritação no nariz, também sendo acompanhadas por congestão nasal, coceira na garganta e nos olhos, dor de ouvido, febre acompanhada de calafrios e dores abdominais.

Contato com pelo de animais

Se seus olhos encherem de lágrima ou você começar a espirrar continuamente depois de ter contato próximo com algum animal, saiba que você pode ser alérgico a animais, ou melhor, a seus pelos.

Além disso, os pelos de animais, em especial gatos e cães com pelos alongados, os quais podem permanecer no ar por horas, causando uma irritação nasal, que ocasiona espirros excessivos.

Como tratar espirros ininterruptos

Existem algumas orientações para conter crises de espirro, algumas delas com resultado mais imediato, como lavar o rosto e higienizar o nariz com soro fisiológico. Estas ações conseguem eliminar parte da poeira ou substância alérgena contida dentro do nariz, amenizando o incômodo.

Além das indicações citadas acima, existem algumas maneiras de melhorar quadros de espirros excessivos, tais como: 

  • Morder a língua: quando sentir que vai espirrar, morda a língua. Esta ação impedirá a ação dos impulsos nervosos que causam o espirro, mudando o seu foco de atuação.
  • Higiene pessoal: como citado acima, assim que uma crise de espirros começar, é importante lavar o rosto e aplicar soro fisiológico (ou uma solução salina) para eliminar elementos que estejam causando a reação. Além disso, lavar as mãos com frequência e evitar locais fechados e/ou aglomerados contribui para evitar resfriados e gripes, que causam situações de espirro excessivo. Outra sugestão para cessar a esternutação rapidamente é tomar um banho morno ou inspirar o vapor d’água quando fervida, pois ajuda a purificar as narinas.
  • Manter os ambientes limpos: limpar os cômodos da casa regularmente é uma boa saída para evitar espirrar excessivamente, pois torna o ambiente isento de agentes alérgenos, como poeira, ácaros e outras substâncias.
  • Beber água: quando ingerimos água, controlamos os espirros pois, além de umidificar a garganta e as vias aéreas, estimulamos nosso cérebro que os controlam.
  • Olhar para a luz: ao olhar fixamente para a luz é possível bloquear o reflexo que provoca o espirro rapidamente.
  • Uso de umidificadores de ar: indicado para clima seco, utilize o umidificador em seu dia a dia, pois aumentará a umidade do ar e impedirá que o possível quadro alérgico piore.

Além das dicas citadas anteriormente, alguns medicamentos também são indicados para o tratamento de condições que manifestam sintomas como espirros excessivos, tais como:

  • Alerginyl®: é indicado como auxiliar no tratamento dos sintomas de processos alérgicos que envolvem coriza, espirros, obstrução nasal, afecções nos olhos, como inflamação e inchaço nas pálpebras, irritação cutânea, eczema, urticária e prurido.
  • Leparin®: com ação imediata e efeito gradual, é indicado como auxiliar no alívio dos sintomas da gripe.
  • Hidracal®: foi idealizado para auxiliar no tratamento dos sintomas de faringite, rinite, sinusite, coriza, secreção nasal, espirros, obstrução nasal e cefaleia frontal.

Atenção: é extremamente importante consultar seu médico(a) para a realização de exames prévios, bem como buscar informações sobre a dosagem correta do medicamento, duração do tratamento e outras orientações de uso.


Fonte(s): Cuidados pela Vida, Tua Saúde, Minha VidaVivaBem – UOL, Boa Forma – Abril, Bula do Alerginyl, Bula do Leprin, Bula do Hidracal e Drauzio Varella.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *