WP
42 0

Gripes, resfriados e rinites: por que são mais comuns no inverno e como preveni-los?

Quando as temperaturas começam a oscilar ou cair bastante, especialmente nas mudanças de estações, alguns cuidados extras com a saúde devem fazer parte do dia a dia das pessoas. 

No inverno, especialmente, além de blusas, luvas, cachecóis, toucas e calçados apropriados, outros “acessórios” devem constar do kit obrigatório para a prevenção de doenças sazonais como a gripe, o resfriado a rinite.

Existem remédios e receitas caseiras que são bastante difundidos e utilizados como fórmulas  milagrosas de prevenção e tratamento. Abaixo, explicamos quais são as maneiras de prevenir essas doenças e explicamos porque elas são bem mais comuns no inverno do que em outras estações.

O que causa gripe e resfriado?

Embora muitas vezes sejam usados como sinônimos, a gripe e o resfriado não são a mesma doença, apesar de apresentarem várias semelhanças que justificam a confusão. A gripe, assim como o resfriado, é causada por uma infecção viral.

A gripe é causada pelo vírus influenza, o qual pode apresentar – se através de mais de um subtipo e que sofre mutações ao longo dos meses. Mutações estas que justificam a necessidade da aplicação anual de vacina específica.

De modo geral, os sintomas são muito mais intensos do que o de um resfriado. Normalmente, no quadro gripal, a pessoa tem sintomas mais exuberantes como febre alta, cansaço, indisposição geral, dores no corpo, tosse seca, coriza e espirros, os quais podem evoluir para complicações.

O resfriado pode ser desencadeado por diferentes tipos de vírus como rinovírus, adenovírus, parainfluenza, etc. Sintomas como secreção e congestão nasal, além de coceira e espirros são bem comuns. A febre, quando aparece, normalmente é muito baixa, diferentemente dos quadros gripais.

Qual é a causa da rinite?

A rinite, diferente da gripe e resfriado, é uma doença que pode ser diagnosticada como aguda ou crônica, ser por provocada por uma infecção, ser irritativa ou alérgica Com relação à gravidade e ao tempo de duração dos sintomas, pode variar de leve a grave; intermitente ou persistente.

Os casos agudos, geralmente, podem ser causados por um vírus. 

Os quadros crônicos de rinite alérgica são, em sua maioria, aqueles induzidos por fatores alérgenos (mofo, fungos, poeira, pólen, perfumes, ácaros, pelos de animais domésticos, poluição do ar, etc.).

Há ainda outros fatores que podem desencadear crises de rinite, tais como uso de descongestionantes nasais e outros medicamentos de uso oral e até mesmo a mudança brusca de temperatura, normalmente de quente para frio ou, em raros casos, de frio para quente.

A reação alérgica pode ser imediata (fase imediata), assim que há exposição ao fator alérgeno ou  manifestar -se na fase tardia, horas depois do contato.

Na crise de rinite alérgica, o paciente apresenta sintomas tais como coceira nos olhos, ouvidos, nariz, garganta, céu da boca, espirros recorrentes, coriza, lacrimejamento, irritação nos olhos, garganta, nariz e pele. 

Outros sintomas que podem aparecer são congestão nasal, tosse, dor na garganta, inchaço nos olhos, dor de cabeça e irritabilidade. Ou seja, são sintomas que provocam grande desconforto e podem atrapalhar o dia a dia.

Por que essas doenças são mais comuns no inverno?

A gripe, o resfriado e a rinite são doenças que podem se manifestar em qualquer estação do ano, mas no inverno se tornam mais comuns, pois nesta estação do ano, existem fatores que favorecem a transmissão de vírus e exposição aos alérgenos.

Apesar de ocorrer aumento no número de casos de problemas respiratórios no inverno, estes em sua maioria não estão diretamente ligados às mudanças climáticas, mas sim, aos fatores que aumentam a probabilidade de desencadear uma infecção, como é o caso da gripe e do resfriado.

No inverno, as pessoas tendem a manter os locais muito fechados, impedindo uma melhor circulação do ar. Locais de aglomeração, tais como transporte público e ambiente de trabalho lotados, por exemplo, tornam-se fatores de risco para a gripe e resfriado.

A rinite alérgica também se torna mais comum no inverno pelo aumento da poluição ambiental, mudança repentina de temperatura, ar seco e por conta do uso de cobertores e casacos, guardados desde a última estação fria. 

Apesar de se tornarem muito comuns no inverno, o frio não é a única causa das doenças respiratórias.

Como prevenir-se de gripes e resfriados?

No caso da gripe e do resfriado, não existe uma forma 100% garantida de prevenção, mas existem hábitos que podem ser adotados e que reduzem muito o risco de contágio. A higiene pessoal e ambiental são as principais formas. No caso da gripe, a maior garantia de prevenção é com a vacina.

Lavar frequentemente as mãos, o rosto  e as narinas, evitar de levar a mão no rosto, adotar padrões de limpeza adequados (especialmente dos objetos pessoais), manter bem ventilados os ambientes, principalmente do trabalho, transporte público e o quarto.

Outra forma de se prevenir é manter atividade física regular, ter boa alimentação, tomar muita água, manter sono tranquilo e buscar qualidade de vida. Lembre-se sempre de consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes pois estes fortalecem o sistema imune. 

Tratamento

Após a infecção viral, na gripe ou no resfriado, os tratamentos existentes são paliativos, ou seja, amenizam os sintomas. Estas doenças possuem uma evolução natural de cura, por isso o descanso é fundamental, sendo a principal forma de tratar.

Para aliviar os sintomas, existem antivirais que ajudam a reduzir as dores no corpo, a dor de cabeça e os sintomas nasais. Leparin, por exemplo, é indicado como auxiliar no alívio dos sintomas relacionados à gripe. Leparin pode ser prescrito na forma de comprimidos ou solução oral, sendo muito importante a leitura da bula antes do início de qualquer tratamento.

Como prevenir se da rinite alérgica?

Para prevenir uma crise de rinite alérgica, é necessário evitar o contato e exposição com os fatores alérgenos. Recomenda-se, especialmente no inverno, intensificar os cuidados de higiene e limpeza com as roupas, agasalhos, cobertores, ambientes de convivência, enfim com tudo o que possa acumular poeira e umidade. Evitar o contato com fumaça de cigarro, evitar o contato com animais, mas quando não for possível,  deve deixá-los, limpos, dentro de casa.

Tratamento

Nos casos de rinite alérgica, o tratamento consiste na utilização medicamentos específicos e na redução da exposição aos fatores de risco. Ou seja, além da recomendação de remédios que amenizam os sintomas, o médico deve orientar o paciente para que reconheça os fatores alérgenos responsáveis por desencadear uma crise.

Existem vários medicamentos que atuam no alívio dos sintomas, dentre eles, o Alerginyl, indicado como auxiliar no tratamento dos sintomas de processos alérgicos tais como coriza, espirros, obstrução nasal, afecção nos olhos como inflamação e inchaço nas pálpebras, irritação na pele e coceira. Encontra-se disponível na forma de comprimidos e solução oral, sendo sempre necessária a consulta da bula e de um profissional.

Fonte(s): Ministério da saúde, BVMS, Hospital Proncor e Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *