impactos do estresse no organismo

Quais os impactos do estresse no seu organismo?

O estresse pode ter consequências sérias no corpo, como hipertensão e agravamento de transtornos mentais. Entenda tudo neste texto!

A correria do dia a dia impacta na nossa saúde de diversas formas. Uma das mais comuns é o aumento do nível de estresse

Trabalho, trânsito, relações familiares e diversas outras situações podem ser gatilhos do estresse em nossas vidas.

E é muito importante tentar perceber a quantidade de estresse a que estamos sendo submetidos. Isso porque essa condição pode levar ao desenvolvimento de problemas físicos de saúde, como hipertensão, problemas digestivos, insônia e outros.

Entenda mais sobre o que é o estresse e os impactos sobre o nosso organismo a seguir:

O que é o estresse?

O estresse é uma reação natural do organismo a situações de perigo ou ameaça, colocando o organismo em estado de alerta e provocando alterações físicas e hormonais.

Evolutivamente, o estresse foi muito importante para o desenvolvimento do ser humano, afinal, ao se sentir estressado, os seres primitivos identificavam situações de risco e evitavam se exporem a elas.

Nos dias atuais, um pouco de estresse ainda tem suas “vantagens”. Quando nos sentimos muito estressados, por qualquer motivo que seja, é um sinal de alerta de que talvez seja o momento de parar e descansar.

Contudo, nem sempre é possível fugir de situações estressantes, o que faz com que muitas pessoas fiquem expostas a essa sensação por um período demasiadamente prolongado, o que pode trazer complicações sérias para o organismo.

Um exemplo é que situações estressantes tendem a aumentar o ritmo dos batimentos cardíacos. 

Quando uma pessoa fica estressada por muito tempo e constantemente, isso pode causar problemas cardíacos no futuro, como a hipertensão.

Sintomas do estresse

O estresse manifesta seus sintomas de várias formas. Em linhas gerais, costumamos dizer que o estresse causa sintomas físicos, emocionais e cognitivos. Nós vamos falar sobre os mais graves em detalhes mais pra frente. Por enquanto, confira os principais.

Sintomas físicos

Os principais sintomas físicos causados pelo estresse são:

  • Dor de cabeça;
  • Dor de estômago;
  • Dor no peito;
  • Gastrite;
  • Diarréia ou constipação;
  • Diminuição da imunidade;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Sudorese excessiva;
  • Problemas dermatológicos.

Sintomas Cognitivos

Os principais sintomas cognitivos causados pelo estresse são:

  • Dificuldade de memória;
  • Dificuldade de concentração;
  • Julgamento fraco;
  • Pessimismo;
  • Ansiedade;
  • Pensamento acelerado;
  • Preocupação excessiva e constante.

Sintomas emocionais

Os principais sintomas emocionais causados pelo estresse são:

  • Humor instável;
  • Irritabilidade;
  • Agitação e incapacidade de relaxar;
  • Sentir-se sobrecarregado;
  • Sentimento de solidão e isolamento;
  • Depressão ou infelicidade geral.

Impactos do estresse sobre o organismo

Como vimos anteriormente, a lista de sintomas causados pelo estresse constante e duradouro é grande. Por esse motivo, pode trazer impactos mais graves sobre o funcionamento do corpo, de maneira geral.

Entenda a seguir os principais impactos do estresse:

Hipertensão

Durante situações estressantes, as glândulas suprarrenais liberam um hormônio chamado adrenalina, o qual prepara o organismo para grandes desafios. 

Quando a adrenalina circula no sangue, estimula o coração a bater num ritmo mais acelerado, o que, por sua vez, eleva a pressão arterial.

Por esse motivo, ficar estressado com frequência pode levar a problemas como a hipertensão, que, por sua vez, é um fator de risco para diversas outras doenças cardíacas, como o infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Insônia

Pessoas que estão estressadas encontram uma maior dificuldade em adormecer. Isso ocorre porque, quando estamos estressados, há um excesso de cortisol no organismo.

O cortisol é um hormônio também liberado pelas glândulas suprarrenais que ajuda a manter o organismo em estado de alerta, justamente para que você possa ter uma resposta rápida quando confrontado com alguma emergência.

O cortisol, assim como a adrenalina, causa um aumento da pressão arterial.

Diminuição da imunidade

O excesso de cortisol na corrente sanguínea também pode ter um efeito bastante prejudicial sobre o nosso sistema imune. O excesso desse hormônio no organismo faz com que nossas células de defesa tenham suas funções alteradas, o que compromete a imunidade.

Problemas digestivos

Um dos principais impactos do estresse sobre o organismo são os distúrbios gástricos. Na maior parte dos casos, os sintomas sentidos pelos pacientes são acidez e dores no abdômen, embora sintomas como gastrite, diarréia e refluxo também possam ocorrer.

Transtornos mentais

O estresse constante pode agravar problemas como crises de pânico e ansiedade, bem como a depressão e esquizofrenia em pessoas que possuem predisposição genética para desenvolver algum desses distúrbios psiquiátricos.

Formas de combater o estresse

Existem várias formas de se combater o estresse. O primeiro passo, entretanto, é reconhecer o impacto dessa sensação na sua vida. Uma vez que você saiba que está se estressando demais, tomar medidas para combatê-lo se torna mais fácil.

O principal remédio para o estresse é o descanso. O cansaço físico e mental contribuem para o estresse e também para outras complicações, como a ansiedade.

Portanto, uma boa maneira de se combater o estresse é aproveitar ao máximo seus momentos de descanso. 

Durante essas horas, a busca por práticas relaxantes, como um bom banho ou massagem pode ser muito útil. As massagens, em especial, ajudam a relaxar os músculos do corpo, que ficam tensos quando estamos muito estressados.

Outra maneira de se combater o estresse pode ser através da terapia. Visitar regularmente um psicoterapeuta é uma forma de colocar todas as suas ansiedades e inseguranças para fora em um local seguro. 

Além disso, muitos psicoterapeutas podem indicar técnicas de relaxamento que ajudam a acalmar durante situações estressantes.

Ainda, existem medicamentos, como os ansiolíticos, que só devem ser utilizados quando receitados por um médico.

Utilizar esses medicamentos por conta própria pode ser perigoso, não só pelo potencial aditivo, mas também porque o seu uso sem acompanhamento pode desencadear outros problemas psiquiátricos. 

Contudo, existem medicamentos que atuam como auxiliares no tratamento dos sintomas da ansiedade leve e da insônia, como o Nervocalm WP Lab, um medicamento homeopático de ação imediata e efeito gradual, com substâncias ativas de origem natural.

Em todo caso, antes de iniciar qualquer tratamento, converse com um médico para avaliar se o seu caso realmente se beneficiaria do uso de algum tipo de medicamento.


Fonte(s): UOL, Vittude, Vittude 2, Scielo e Unicardio.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *