43 0

TPM: Confira um guia completo

Conheça as principais informações sobre a condição médica neste guia sobre TPM.

Você com certeza já deve ter ouvido falar da TPM, certo? Esta condição médica refere-se a um conjunto de sintomas, sejam eles físicos ou mentais, que atingem mais da metade da população feminina adulta (cerca de 70% das mulheres entre 20 e 35 anos). E dependendo do grau de incidência, algumas mulheres podem ter sua rotina modificada, pois a TPM pode influenciar pequenas ações do dia a dia, como o ato de levantar da cama ou ir trabalhar.

Por isso, trouxemos neste texto um guia sobre TPM completo, que explica o que é a tensão pré-menstrual, quando acontece, como o corpo reage, possíveis sintomas, além de dicas para lidar com esta condição. Confira agora mesmo!

O que é TPM?

A tensão pré-menstrual refere-se ao período que antecede a menstruação e é marcado, principalmente, pela alteração hormonal do corpo humano feminino, que causa modificações temporárias, mas significativas, no sistema nervoso central. Este momento varia entre 5 e 10 dias antes do início do ciclo menstrual e pode, em algumas situações, permanecer até o fim dele.

Quais os sintomas da TPM?

A tensão pré-menstrual afeta, de certo modo, tanto o lado pessoal quanto o profissional, pois afeta as emoções, a socialização e, muitas vezes, a parte sexual. Veja na lista abaixo alguns dos sintomas associados à tensão pré-menstrual:

Sintomas físicos:

  • Sensibilidade nos seios
  • Desejo por alimentos específicos
  • Dores no corpo
  • Aumento de peso
  • Acnes
  • Inchaço nas mamas
  • Idas frequentes ao banheiro (principalmente xixi)
  • Modificações nos hábitos alimentares
  • Gases
  • Cansaço físico
  • Sonolência
  • Retenção de líquidos

Sintomas emocionais:

  • Irritabilidade ou agressividade sem motivos aparentes
  • Labilidade emocional (mudança repentinas de humor)
  • Cansaço mental
  • Ansiedade
  • Dificuldades de concentração
  • Insônia
  • Baixa autoestima
  • Diminuição do desejo sexual

É importante destacar que não é necessário que  todos estes sintomas apareçam em períodos de TPM. Portanto, é necessário atentar-se àqueles que aparecem mais vezes de acordo com a sua realidade.

O que acontece com o corpo durante a TPM?

Geralmente cada ciclo menstrual ocorre em um intervalo de 28 dias. Em cada período, o corpo passa por algumas mudanças que não passam despercebidas. Nos primeiros 14 dias, por exemplo, que é o momento da ovulação, verifica-se um aumento da produção do hormônio estrogênio, que é um dos responsáveis pelo controle do bem-estar feminino.

Na sequência, os últimos 14 dias é composto por um engessamento das paredes do útero que, em linhas gerais, pode ser entendido como uma “preparação” do corpo da mulher para acolher um possível bebê. É ainda nesta parte do ciclo que acontece o aumento da produção do hormônio progesterona e uma diminuição de estrogênio no corpo.

Esta transformação gerada no período pré-menstruação provoca os sintomas citados anteriormente, sendo os mais comuns o cansaço, alterações de humor, ansiedade, inchaços e dores pelo corpo, principalmente nos seios.

É somente após esta última metade do ciclo menstrual — caracterizada pelo engrossamento das paredes do útero — é que acontece a menstruação: o endométrio, tecido que reveste internamente o útero e aumenta sua espessura durante a TPM, é eliminado do corpo feminino.

Após esta etapa final é que, em teoria, se encerra a tensão pré-menstrual.

O que pode aumentar o risco de ter TPM?

Alguns fatores podem aumentar as possibilidades de se desenvolver a tensão pré-menstrual, tais como:

  • Histórico familiar
  • Idade, que ao passar do tempo os sintomas podem se tornar mais comuns com a idade
  • Condições médicas mentais, como ansiedade e depressão
  • Estresse 
  • Sedentarismo
  • Excesso de cafeína no organismo
  • Alimentação pobre ou rica em gorduras
  • Consumo excessivo de cafeínas
  • Ausência de uma dieta rica em cálcio, magnésio e vitamina B6
  • Ingestão exagerada de bebidas alcoólicas

Casos mais graves de TPM

Quando os sintomas que surgem com a TPM se agravam, pode ser que a paciente esteja passando por uma versão mais severa desta condição médica, o TDPM, ou transtorno disfórico pré-menstrual. Em casos de TDPM os sintomas são mais intensos e as oscilações de humor são mais expressivas. 

Contudo, as porcentagens de incidência deste transtorno varia entre 3 e 11% em mulheres em idade reprodutiva.

Os motivos para estes casos mais intensos de TPM ainda estão incertos. Alguns profissionais de saúde explicam que algumas mulheres desenvolvem o transtorno por serem mais sensíveis às alterações dos neurotransmissores cerebrais que acontecem devido à desnivelação hormonal durante o ciclo menstrual.

Lidando com a TPM

Como já relatado neste texto, é muito comum que a TPM interfira consideravelmente no cotidiano das mulheres. No entanto, saiba que é possível amenizar seus sintomas. Confira a seguir algumas dicas para lidar com a TPM:

Faça exercícios físicos – caminhada, andar de bicicleta, corrida, natação, entre outras atividades aeróbicas ajudam a reduzir o estresse e induz o relaxamento, uma vez que promove o aumento dos níveis de endorfina no corpo. É interessante fazer destes momentos rotina.

Cuide da alimentação – saiba que sintomas como cansaço, cólicas e retenção de líquidos podem ser aliviados por meio de uma alimentação balanceada, nutritiva e sem exagero. Além disso, é possível até comer aquele doce ou chocolate necessário nestes momentos (cuide com excessos). A indicação é procurar um(a) nutricionista e solicitar uma dieta específica para o seu caso.

Procure ter boas noites de sono – sempre é indicado evitar estimulantes como café, energéticos e açúcares à noite, pois estes podem piorar a qualidade do seu sono. Além disso, evite bebidas alcoólicas neste período.

Invista em suplementos naturais – existem alguns nutrientes que podem ser indicados por um profissional de saúde para atuar no controle da TPM, como o cálcio, que pode reduzir sintomas de depressão e cólica, o magnésio, que é recomendado para combater enxaquecas, a vitamina B6, que atua contra a ansiedade, entre outros.

Lembre-se: cuidado com a automedicação. É extremamente importante a opinião do seu médico(a) nesses momentos.

Se fumante, deixe o cigarro de lado – o cigarro não contribui para a atenuação da TPM, pelo contrário: esta aparente e repentina melhora no quadro esconde a acentuação que as substância presentes no cigarro provocam nos sintomas. Além disso, pode desencadear outras condições médicas. O ideal é ir reduzindo seu uso aos poucos.

Outras formas de tratar a TPM

Este guia sobre TPM procurou explicitar algumas das informações necessárias para a sua compreensão sobre o que é realmente a tensão pré-menstrual, seus principais sintomas, o que este período faz com o corpo feminino e indicações de como tratar os sinais da tensão.

A TPM não tem cura, no entanto, a mudança de hábitos cotidianos como vistos acima, assim como alguns remédios, podem ser boas opções para amenizar os sintomas desta condição médica. Uma indicação de medicamento neste contexto é o TPM Reduxina®.

O TPM Reduxina® é um medicamento homeopático indicado como auxiliar no tratamento dos sintomas relacionados à tensão pré-menstrual, como ansiedade, dores de cabeça, inchaço, irritabilidade e fadiga muscular.

Atenção: é extremamente importante consultar seu médico(a) para a realização de exames prévios, bem como buscar informações sobre a dosagem correta do medicamento, duração do tratamento e outras orientações de uso.

Fonte(s): Sexo Sem Dúvida, Blog Inclua, Guia de Casamento, Gineco e Bula do TPM Reduxina.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *